Aquilo que meus olhos não veem.

16.7.17

Leia escutando essa música.


Por muito tempo pensei que só podia acreditar naquilo que estava diante dos meus olhos. Negando de forma errônea a existência da própria vida. Estava cega por ver através da luz que refletia aos meus olhos. Era capaz de olhar, mas não de ver o que estava guardado dentro de mim, de certa forma, eu me negava.

Olhar para dentro de si. Qual era o objetivo?

Dentro de mim havia um conjunto de células, músculos, órgãos e ossos, sangue quente correndo por minhas veias. Tudo funcionava bem, mas na verdade, eu não me sentia assim, havia algo no meu interior que eu não podia enxergar e muito menos entender.

Como encontrar aquilo que meus olhos não veem?

Ouço ao meu redor vozes incansáveis gritando e almejando o amor. Sussurros que chegam como vento, desejam a felicidade. Soluços entrecortados por vozes embargadas pedindo para que a dor vá embora.

O que é isso que eu posso sentir, mas não ver?

Há algo guardado em mim que afeta meu corpo, meu cérebro, minha alma — essa a qual tampouco parece existir. Escuto meus pensamentos como vozes misteriosas dentro de uma caixa sem fim e tenho medo.

Medo de descobrir quem realmente sou, de enfrentar o invisível sensível, de não gostar da pessoa que me tornarei algum dia.

Medo de ir atrás da minha própria essência.


Deixarei algo inanimado tomar conta de minhas ações e pensamentos, para assim encontrar o que eu busco. Deixarei que os meus sentimentos encontrem sua porta de saída, sensações essas que ainda não compreendo bem, mas que deixei trancadas por muito tempo por não saber como sentir algo invisível, que na verdade, está presente no olhar e nos pequenos gestos involuntários que insistimos em realizar.


  • Share:

Posts Relacionados

2 comentários

  1. Ayu, do céu! Nunca tinha pensado em escrever um texto literário em formato de entrevista! (Já vi em alguns livros, mas foi tão pontual que não tinha pensado em fazer isso!). Então, fiquei aqui babando na sua genialidade (sério, sou sua fã!). Sobre o texto, é bom quando a gente olha para dentro e se surpreende ao ouvir o amor. Acho que se isso acontece, podemos nos considerar sortudos!

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Fer, que bom que você gostou! Fico muito feliz! Eu nem planejei nada, só saí escrevendo mesmo sahushauhsauhsa <3

      Excluir