Jardín Japonés.

9.12.17


Dia dezesseis de junho fui ao Jardín Japonés que fica em Buenos Aires. O lugar é muito lindo, principalmente se você gosta de um climinha de natureza com um arzinho de Japão!


Ao entrar é como se você estivesse em uma parte separada do mundo onde somente as pontas dos prédios o fazem lembrar que você está no meio da Grande Buenos Aires.



Com o apoio da comunidade japonesa, foi construído em 1967 como testemunha da primeira visita de um integrante da Família Imperial Japonesa na Argentina, o príncipe herdeiro Akihito e a princesa Michiko. O jardim representa a relação existente entre Argentina e Japão.






Foi declarado como bem de interesse histórico artístico nacional. É conhecido mundialmente por ser o maior jardim japonês fora do Japão.




São realizados diversos eventos como convenções culturais, exposições, seminários, shows, aulas, viagens, competição de cosplayers... Tudo para integrar a cultura japonesa.



Dentro das instalações do jardim, podemos encontrar logo na entrada o viveiro de plantas, onde você pode adquirir tudo para o seu jardim, inclusive flores! Há o restaurante onde a maioria dos turistas vêm por conta do Sushi (é difícil encontrar uma boa comida japonesa na Argentina, acreditem!). Há a casa de chá, o grande lago com carpas, a sala de leitura, a sala de exposição e é claro que não poderia faltar uma lojinha com coisinhas típicas japonesas.




O lugar é bem cuidado e bem oriental. É realmente um pedaço do Japão na Argentina! Fui no outono e fiquei encantada com as folhas amarelas e alaranjadas, agora já estamos na época que as flores de Sakura florescem! Então o lugar deve estar ainda mais bonito!
O passeio é bem agradável, calmo e relaxante.



Perto do portal Okinawense estão placas com os nomes e as datas de pessoas importantes que já visitaram o jardim, como príncipes e princesas da corte japonesa, além de mapas do Japão.



O ingresso é gratuito para os menores de doze anos e os aposentados a partir de sessenta e cinco anos. Além disso, uma vez na semana os argentinos e residentes argentinos entram gratuitamente se apresentarem o documento DNI (é o RG argentino).


O que eu mais gostei foi da forma que eles mantém a natureza no jardim e como eles se preocupam em manter a cultura japonesa viva! Eles até colocam músicas japonesas nos alto-falantes, assim é possível escutá-las no parque inteiro! É um lugar de tirar o fôlego.


Você pode encontrar mais informações no site oficial do Jardín Japonés, na página do face ou no twitter.

Fonte: http://jardinjapones.org.ar


  • Share:

Posts Relacionados

0 comentários